Sacola

  • Sem produtos na sacola

A cor vermelha: fascínio e preconceito

Eu ainda noto bastante receio em algumas mulheres quando estão diante de peças vermelhas na hora da compra, seja para o dia a dia, para um evento ou uma festa importante como um casamento. 
Vermelho é uma cor quente, intensa (oposta ao azul, calmo e tranquilo) e está totalmente relacionada às nossas emoções, aumenta a taxa de respiração e a pressão arterial. Não é à toa que é considerada a cor da paixão, do erotismo, associada também à coisas proibidas, imorais, violência e alerta. Por isso, os sinais de trânsito usam essa cor, equipamentos de incêndio, alertas de ambulâncias e por aí vai.

 Sinalização mundial, vermelho: PARE

 

A escritora e socióloga alemã Eva Heller, em seu trabalho de pesquisa com 2000 pessoas entre 18 a 97 anos de diversas profissões, descobriu com seus entrevistados que apenas 12% apontaram a cor vermelha como sua favorita. Eva fala também que vermelho é associado ao feminino. Para ilustrar esse apontamento, somente 5% dos entrevistados pela socióloga citam o vermelho como cor masculina, enquanto 25% o consideram uma cor feminina.
Em algumas culturas orientais, como a China, a cor vermelha é usada para dar sorte. Com a globalização e ocidentalização, muitas mudanças já ocorreram, mas tradicionalmente vermelho é a cor que as  noivas chinesas usam em seus casamentos.

 Qipao, vestido tradicional chinês utilizado por noivas
No Japão,  a cor tem grande presença na cultura tradicional, “Aka” (赤) em japonês. Está presente na própria bandeira do país, chamada Hinomaru, sendo o  círculo vermelho a representação do Sol. Essa combinação de vermelho e branco é tida como de boa sorte para os japoneses. As noivas japonesas também costumam usar essa cor em seus casamentos, mas novamente, com a ocidentalização, muitas já deixaram de lado essa tradição. A cor também foi usada como maquiagem no Japão muito antes do batom se tornar popular e o cártamo era usado como base para os batons.

o forte uso da cor na cultura japonesa

 

Vermelho no Marketing
Vermelho remete ao dinamismo, urgência, atenção, alerta, por isso grandes empresas empregam essa cor em sua simbologia. A Coca-Cola usa e abusa dessa estratégia aliada ao efeito estimulante de seu refrigerante. O Papai Noel, que na tradição nórdica era marrom ou verde, passou a ser vermelho por causa da Coca-Cola. Puro marketing.  
Vermelho na Moda
Vermelho é uma das cores mais antigas e existem muitas variações, sim, muitas! Existem inúmeros tons de vermelhos, já demoramos para escolher o tom do esmalte, imagina a variedade na indústria da moda ou os diferentes pigmentos para os artistas escolherem… Por exemplo, o tom ocre vem de um tipo de argila que contém presença do mineral hematita. Vermelho, junto com o branco e o preto, eram as cores usadas pelos artistas da Pré-História porque podiam ser obtidas na natureza. O vermelho carmim chegou à Europa através dos espanhóis que vieram do Novo Mundo. Descobriram que um inseto, cochonilhas, ao ser esmagado, produzia uma tinta muito intensa e brilhante, porém altamente tóxica. Essa é uma cor usada desde sempre pelos artistas, obtida de diversas formas diferentes, o cinábrio, vermillion, carmesin, carmim...a cor sempre foi associada a poder e riqueza, com a ascensão dos comerciantes no Renascimento, vários reinos proibiram pessoas que não fossem nobres a usarem o vermelho carmim, que era uma cor ligada à aristocracia.
Desde o poder da aristocracia, realeza e papado, passando pela prostituição (aí nasce o preconceito com a cor) e luxúria, (Moulin Rouge, cabarets e afins com suas cortinas de veludos vermelhas) à tradições de boa sorte como em algumas culturas orientais, a cor vermelha, sempre esteve presente na vida e na moda. Algumas grifes, como Maison Valentino, adotaram a cor vermelha como sua cor oficial. A Dior usa bastante em suas campanhas de Maquiagem.

Campanha Dior Rouge, fall 2019

Essa peça do Valentino pode ser conferida ao vivo na exposição:  Vestindo o tempo: 70 anos de moda Italiana, em cartaz no Instituto Tomie Ohtake
Os vermelhos são muito usados no tapete vermelho (me perdoem o trocadilho), sabemos que em grandes eventos de gala, a atenção é disputada a tapa e, aparecer em um belo vestido vermelho é forma garantida de se destacar, pelo bem ou pelo mal. A cor por si só, como já vimos, chama a atenção, então sugiro moderação na hora de usar, prefira uma bela peça de alfaiataria, ou um modelo clássico, porque certamente você não passará despercebida, como dizia Chanel: “Vista-se mal, notarão o vestido, vista-se bem, notarão a mulher” .
Só por eu escrever um artigo sobre essa cor, dá para notar que ela me fascina (estou entre os 12% que a consideram sua cor favorita), então eu não poderia deixar de ter essa cor em algumas peças, especificamente na Coleção Mulheres na Guerra, usei apenas um tom de vermelho, mandei tingir todos os tecidos para que os modelos pudessem harmonizar entre si. Deixo aqui um dos preferidos: o Marlene, em homenagem à Marlene Dietrich. E você, ainda tem um “certo preconceito” com essa cor ou ela te fascina?

Vestido Marlene, Coleção Mulheres na Guerra
 
Para saber mais: 
HELLER, Eva. Psicologia das Cores: Como as cores afetam a emoção e a razão, Edição 1, São Paulo - Editora Gustavo Gili.
Instituto Tomie Ohtake: 
https://www.institutotomieohtake.org.br/exposicoes/interna/vestindo-o-tempo-70-anos-de-moda-italiana

Related Articles

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *